Túnel do Carpo, Túnel Unilar e Tenossinocite Estenosante

TÚNEL DO CARPO, TÚNEL ULNAR E TENOSSINOVITE ESTENOSANTE

Síndrome do Túnel do Carpo

   A síndrome do túnel do carpo ocorre devido à compressão do nervo mediano dentro do túnel do carpo. O túnel do carpo é uma cavidade de forma cilíndrica entre o antebraço palmar e a palma, que é limitado dorsalmente pelo arco transverso do carpo.

  A síndrome caracteriza-se predominantemente em formigamento e dormências nos três e meio dedos radiais (polegar, indicador, médio, lado radial do anular). A dor é descrita como funda, contínua ou latejante, ocorre difusamente na mão e irradia-se para o antebraço ou acima.

   Parestesia na distribuição sensitiva do nervo mediano é o sintoma mais frequente. Ocorre mais frequentemente em mulheres e a queimação e a dormência da mão, que são aliviadas por exercício, muitas vezes fazem o paciente acordar várias horas depois de ir dormir.

  

Tratamento

   A injeção de hidrocortisona dentro do túnel do carpo pode proporcionar alívio nos pacientes com sintomas brandos sem atrofia muscular tênar. A injeção também ajuda a eliminar a possibilidade de outras síndromes, especialmente discopatia cervical ou síndrome do desfiladeiro torácico.

   O tratamento conservador com imobilização e injeção é razoável se a resposta for positiva e não houver atrofia muscular.

   Se sinais e sintomas forem persistentes e progressivos, especialmente se incluírem atrofia tênar, está indicada a divisão de ligamento transverso do carpo.

 

Tratamento Pós – Operatório

   É colocado um curativo e uma tala gessada palmar. É iniciada a movimentação ativa da mão tão logo seja possível e a posição pendente, para baixo, é evitada. Um curativo menor pode ser aplicado depois de uma semana, e o uso normal da mão é incentivado. Os pontos são removidos após 10 a 14 dias. A tala deve ser mantida durante 14 a 21 dias.

 

Sindrome do Túnel Ulnar

   A síndrome do túnel ulnar resulta da compressão do nervo ulnar dentro de um túnel fibroósseo triangular apertado de aproximadamente 1,5 cm de extensão localizada no carpo. As paredes do túnel consistem no ligamento transverso do carpo superficial anteriormente, o ligamento transverso do carpo profundo posteriormente, e o osso pisiforme e o ligamento pisohamato medialmente. Como o nervo mediano dentro do túnel carpal, o nervo ulnar esta sujeito a compressão dentro deste túnel. Em comparação com a síndrome do túnel do carpo, a síndrome do túnel ulnar é muito menos comum porque o espaço ocupado pelo nervo ulnar no punho é muito mais complacente. A localização mais comum de constrição do nervo ulnar é no cotovelo.

   O nível exato de compressão determina se os sintomas são motores ou sensitivos ou ambos. No diagnóstico diferencial, devem ser consideradas, a hérnia de disco cervical, síndrome do desfiladeiro torácico e neuropatia periférica.

   O tratamento consiste na exploração do nervo ulnar no punho e remoção de qualquer cisto sinovial ou outra causa de compressão.

  

Tenossinovite Estenosante

   Tenossinovite estenosante ocorre mais frequentemente na mão e punho do que em qualquer outro local no corpo. Quando os tendões extensor curto do polegar e abdutor longo do polegar no primeiro compartimento dorsal são comprimidos. Um peritendinite também pode afetar esses tendões proximalmente ao retináculo extensor, causando dor, edema e crepitação em alguns pacientes. Quando os tendões flexores longos são comprometidos, ocorre polegar em gatilho, dedo em gatilho ou dedo estalando. Qualquer um dos outros tendões, que passam embaixo do retináculo dorsal do punho, também podem ser comprometidos.

   Na nossa experiência, muitos casos de tenossinovite em várias localizações, mesmo tenossinovite estenosante, respondem favoravelmente a injeções de esteroide e anestésico. A dor pode aumentar temporariamente durante as 24 horas iniciais depois da perda do efeito anestésico local; portanto, o paciente deve ser avisado sobre essa possibilidade. Pode levar 3 a 7 dias antes que o esteroide se torne eficaz, mas cirurgia é evitada em muitos casos.

   Antes da injeção, deve ser determinado que a tenossinovite não é causada por outras condições como gota ou infecção que possam ser pioradas pela injeção de esteroide.