Lesões Císticas

LESÕES CÍSTICAS

Cisto Unicameral

   Uma concentração elevada de prostaglandina no líquido aspirado de cistos radiograficamente ativos foi relatada por vários observadores e é considerada como estímulo aos osteoclastos para remover o osso. O nível de prostaglandina no líquido do cisto é reduzido depois da injeção de metilprednisolona.

   Constata-se a maioria dos cistos no úmero proximal ou fêmur proximal, mas qualquer osso nas extremidades pode ser comprometido. O cisto geralmente é assintomático, a não ser que esteja presente uma fratura ou iminência de fratura.

   O método tradicional de tratar cistos unicamerais tem sido curetagem com ou sem enxerto ósseo.

 

Cisto Ósseo Aneurismático

   O cisto aneurismático é provavelmente uma lesão vasocística não neoplásica enxertada sobre um osso previamente normal ou uma lesão preexistente. Qualquer osso pode ser comprometido e envolvimento vertebral e comum. As radiografias em geral mostram um osso expandido caracteristicamente por uma lesão lítica que parece ter uma forma de favo de mel.

   Ressecção ampla é aconselhada sempre que possível; se inexequível, aconselhamos curetagem agressiva usando uma broca a motor seguida pela cauterização da parede do cisto usando fenol e álcool. Embolização arterial de cistos ósseos aneurismáticos por cateter, particularmente em torno da pelve, foi relatada.

   Em virtude do risco de transformação sarcomatosa, não recomendamos radioterapia. Quando um cisto ósseo aneurismático é associado com outra lesão, o tratamento adequado é aquele apropriado para a lesão associada.

 

Cisto Sinovial (Ganglion) do osso

   Os cistos sinoviais do osso ocorrem tipicamente nas extremidades dos ossos longos e de homens de meia idade, particularmente na tíbia distal e mais comumente no maléolo medial, embora o joelho e ombro outras áreas comuns. Estes cistos são considerados extensões intra-ósseas de ganglios dos tecidos moles locais. Ganglios subperiosteais também foram relatados. Em radiografias, eles aparecem como defeitos líticos uniloculados ou muliloculados, bem demarcados, com um contorno de osso esclerótico. O tratamento realizado por excisão local dos tecidos moles sobrejacentes e curetagem do osso comprometido. Recorrência é rara.

 

Cisto Epidermóide

   Cistos cheios de material ceratinoso e revestidos com epitélio escamoso achatado ocasionalmente são observados no osso. Microscopicamente, se assemelham aos cistos de inclusão epidérmica da pele. No osso são conhecidos como cistos epidermóides e são encontrados mais frequentemente no crânio. Nesta localização eles são problemas neurocirúrgicos em vez de ortopédicos. Em radiografias, aparecem como defeitos de rarefação envolvidos por osso esclerótico. Cistos epidermóides também podem ser encontrados nas falanges dos dedos da mão e geralmente são considerados traumáticos.