Luxações Invertebradas Não-Reduzidas

LUXAÇÕES INVERTEBRADAS NÃO-REDUZIDAS

   Qualquer luxação deve ser reduzida o mais breve possível. Enquanto uma articulação se encontra luxada, o metabolismo de sua cartilagem hialina fica comprometido, e as funções do líquido sinovial são prejudicadas. A cartilagem hialina pode degenerar em curto período, e alterações irreversíveis ocorrerão rapidamente. Consequentemente, quando essas luxações antigas são finalmente reduzidas, as expectativas por movimento e funcionamento articulares normais e indolores não são favoráveis.

   Quando são encontradas luxações inveteradas não-reduzidas, especialmente no cotovelo, quadril, joelho ou tornozelo, poderá haver necessidade de artroplastia ou artrodese no momento da redução, ou logo em seguida. O procedimento selecionado depende de considerações individuais, como por exemplo, a articulação afetada, o estado da cartilagem articular, qualquer lesão associada, a idade e a ocupação do paciente. As opções incluem apenas redução e redução seguida de artroplastia ou artrodese.

   Comumente a redução é suficiente para crianças e adultos jovens. Para pacientes de meia idade e idosos, em geral a redução aberta é combinada com artroplastia ou artrodese porque o prognóstico é menos favorável. Se a luxação não-reduzida não estiver restringindo atividades de vida diária e não for excessivamente dolorosa, talvez não haja necessidade de tratamento cirúrgico em pacientes mais idosos.