Distúrbios Traumáticos

DISTÚRBIOS TRAUMÁTICOS

Síndrome do Compartimento

   Murabak definiu síndrome do compartimento como uma elevação na pressão intersticial em um compartimento osteofascial, que resulta em comprometimento microvascular. Mais comumente, estão envolvidos compartimentos com estruturas fasciais ou ósseas relativamente não-complacentes, especialmente os compartimentos anterior e posterior profundo da perna e o compartimento volar do antebraço. Contudo, a síndrome do compartimento pode ocorrer em qualquer local em que o músculo esquelético esteja envolvido por uma quantidade substancial de fáscia, por exemplo, na nádega, coxa, ombro, mão, pé, braço, e músculos paraespinais lombares.

    As síndromes do compartimento podem ser classificadas como agudas ou crônicas, dependendo da causa do aumento da pressão e da duração dos sintomas.

 

Rupturas de Músculos e Tendões

   A causa mais frequente de ruptura parcial ou completa de um músculo ou tendão é a sobrecarga excêntrica da unidade musculotendínea. Outros mecanismos de lesão incluem: golpe direto com a borda cortante de um objeto, sobre um músculo ativamente contraído, e lacerações abertas.

   Sobrecarga muscular é definida como uma lesão indireta a um músculo, causando sobrecarga de tensão em um músculo passivo, ou sobrecarga excêntrica em um músculo em contração ativa.

   Um fator que contribui para a sobrecarga muscular é a fadiga. Que torna o músculo incapaz de absorver muita força excêntrica antes da sobrecarga. Outro fator que pode levar a este tipo de lesão muscular é a tensão intrínseca no músculo, especialmente naqueles que atravessam duas articulações, como os isquiotibiais, o reto femoral e o gastrocnêmio.

   Lesões musculares por sobrecarga são inicialmente tratadas com gelo, repouso e medicação anti-inflamatória; em seguida, o paciente cumprirá um programa de alongamento e fortalecimento progressivo, quando os sintomas desaparecerem. Se o paciente não conseguir recuperar completamente a flexibilidade e a força normal da unidade musculotendínea, haverá maior risco de lesão recorrente subsequente.

 

Lesões do Tendão do Calcâneo

   Os mecanismos de ruptura do tendão do calcâneo considerados mais comuns são impulsão com a parte anterior do pé que está sustentando o peso durante a extensão do joelho, dorsiflexão do tornozelo súbita e inesperada e dorsiflexão violenta do pé em flexão plantar, como ocorre quando a pessoa cai de um local elevado. A ruptura também pode ocorrer por um golpe direto ao tendão contraído, ou em decorrência de uma laceração.

   Provavelmente a causa de ruptura do tendão do calcâneo é uma combinação de fatores –  uma área relativamente hipovascular e microtraumatismos repetidos – que ocasiona um processo inflamatório reparador que é incapaz de adaptar-se no estresse, devido à vascularidade reduzida. Então, uma sobrecarga mecânica completa a ruptura.

Tratamento

   E recomendado o tratamento conservador, por causa dos resultados semelhantes obtidos com esse tipo de tratamento e com o tratamento cirúrgico, ao serem avaliados fatores como amplitude de movimentos, resistência, força e nível funcional. E recomendado o reparo cirúrgico para atletas por causa da baixa porcentagem de ocorrência de nova ruptura.