Consolidação Retardada e Pseudoartrose de Fraturas

CONSOLIDAÇÃO RETARDADA E PSEUDOARTROSE DE FRATURAS

Consolidação Retardada

    A diferença entre consolidação retardada e pseudoartrose é principalmente de grau. Não se pode estabelecer arbitrariamente o tempo que levará para ocorrer consolidação em determinada fratura. A consolidação e considerada retardada quando a cicatrização não avançou na velocidade média para a localização do tipo de fratura (habitualmente, 3 a 6 meses).

   Frequentemente, a consolidação retardada pode ser considerada com êxito por um molde de gesso eficaz, que possibilita a máxima função possível. Frequentemente, nas extremidades superiores são possíveis apenas exercícios dos dedos e do ombro; na extremidade inferior, a sustentação do peso em um aparelho deambulatório bem ajustado muitas vezes acelera a consolidação. Esse tratamento conservador pode ter continuidade por mais 4 a 12 semanas.

 

Pseudoartrose

   Não se justifica um diagnóstico de pseudoartrose até que evidência clínica ou radiográfica, demonstre que a consolidação foi interrompida, e que é altamente improvável a ocorrência de consolidação. O desenvolvimento da pseudoartrose provavelmente está mais relacionado à lesão aos tecidos moles que ao método de tratamento inicial.

   A incidência de pseudoartrose nos ossos longos caria de osso para osso e om os métodos de tratamento das fraturas agudas. Recentemente, com o uso mais frequente de pinos intramedulares com travamento para tratamento de fraturas agudas, as pseudoartroses depois de fraturas do fêmur tornaram-se raras, e por causa da frequência de fraturas expostas graves da tíbia, é provável que esse osso longo seja o local mais frequente de pseudoartrose.

 

Considerações antes da cirurgia

   Deve-se considerar o tratamento sistêmico e local da fratura no tratamento de pseudoartroses; os fatores metabólicos e nutricionais devem ser aperfeiçoados, os pacientes encorajados a abandonar o tabaco e o álcool, e talvez haja necessidade de mudar os níveis de atividade dos pacientes antes do tratamento para pseudoartroses.

 

Fatores Complicadores da Pseudoartrose

   Pseudoartroses podem ser complicadas por infecção, má qualidade dos tecidos moles, fragmentos periarticulares pequenos ou deformidade significativa.

 

Infecção

   É preciso que cirurgião tenha considerável bom senso ao tratar uma pseudoartrose de fratura infectada. Três modos de tratamento inteiramente diferentes têm sido mais frequentemente recomendados para esse difícil problema.

Tratamento Convencional: Os objetivos desse tratamento são converter uma pseudoartrose infectada e secretante em uma pseudoartrose que fique sem drenagem durante vários meses e, em seguida, proporcionar a consolidação da pseudoartrose através do enxerto ósseo. Frequentemente, esse método de tratamento levará 1 ano ou mais para se completar , e comumente resulta em enrijecimento das articulações adjacentes.

Tratamento Ativo: O objetivo do método ativo consiste em obter precocemente a consolidação óssea, o que abreviará o período de convalescença e preservará os movimentos das articulações adjacentes. O primeiro passo é a restauração da continuidade óssea. Isso tem prioridade absoluta sobre o tratamento da infecção.

Método Ilizarov: Para eliminar, a infecção e obter consolidação, deve-se aumentar a vascularidade.  Nessa abordagem o objetivo concretiza-se por corticotomia e aplicação de seu fixador externo circular. Recomenda-se desbridamento aberto para remover segmentos necrosados e infectados totalmente antes da osteossíntese, com o objetivo de eliminar a lacuna óssea.