Considerações Terapêuticas Gerais

CONSIDERAÇÕES TERAPÊUTICAS GERAIS

Fraturas

   É comum a ocorrência de fraturas em crianças portadoras de doença neuromuscular, decorrentes de osteoporose por inatividade e quedas frequentes. Com estudos constataram a existência de uma redução significativa na densidade mineral óssea através de exame de densitometria óssea em meninos com distrofia muscular de Duchenne, com 44% de fraturas confirmadas. A maioria das fraturas são fraturas metafisárias e sem deslocamento, que se consolidam rapidamente.

 

Órteses

   A sustentação da coluna costuma ser feita com um colete bivalvado de polipropileno revestido com espuma macia de polietileno de contato total anterior e posterior ou órtese tóraco-lombo-sacra com abertura anterior e preservação da lordose lombar. A sustentação ajuda o equilíbrio na posição sentada e pode tornar mais lenta, porém não impedir, a progressão da deformidade da coluna. As órtese para tornozelo e o pé ajudam a posicionar o tornozelo e o pé em uma posição plantígrada, objetivando impedir a ocorrência de deformidades progressivas em equino e equinovaro.

Sistemas para acomodação na posição sentada

    A deambulação é difícil e frustrante para a maior parte das crianças com grave doença neuromuscular, e pode ser necessária a utilização de cadeira de rodas. A cadeira – manual ou elétrica – deve ser cuidadosamente moldada. Uma cadeira estreita com um assento firme aumenta a apoio pélvico, e um encosto firme e leve extensão apóia a coluna. Suportes laterais para a coluna adaptados na cadeira poderão ajudar o equilíbrio na posição sentada, mas não impedirão a progressão na posição sentada, mas não impedirão a progressão da escoliose. Clínicas especializadas podem fornecer cadeiras especialmente adaptadas a cada paciente com diversas opções para uso diário. Tais cadeiras acomodarão qualquer deformidade da coluna e obliquidade pélvica existente.