Anomalias Congênitas e do Desenvolvimento do Quadril e Pelve

ANOMALIAS CONGÊNITAS E DO DESENVOLVIMENTO DO QUADRIL E DA PELVE

 

Displasia Congênita e do Desenvolvimento do Quadril

   A displasia congênita do quadril (DCQ) geralmente abrange a sub-luxação (luxação parcial) da cabeça do fêmur. O quadril esquerdo costuma ser mais acometido que o direito, e o envolvimento bilateral é mais comum que aquele que afeta apenas o quadril direito.

   Foram propostas várias teorias para explicar as causas da displasia congênita do quadril, inclusive fatores mecânicos, frouxidão articular induzida por hormônios, displasia acetabular primária e herança genética. O parto com apresentação pélvica, com as forças mecânicas da flexão dos quadris, pode facilmente ser visto como uma causa de luxação da cabeça do fêmur.

   O tratamento de displasia congênita ou displasia de desenvolvimento do quadril depende da idade do paciente e é delineado de acordo com o quadro patológico específico. Foram definidos cinco grupos de tratamento relacionados com a idade (1)recém-nascido, do nascimento aos 6 meses de idade; (2) criança de 6 a 18 meses de idade; (3) criança de 18 a 36 meses de idade; (4) criança de 3 a 8 anos de idade; e (5) pré adolescente e adulto jovem, com mais de 8 anos de idade.