Rua Alegre, 598 – Bairro Barcelona – São Caetano do Sul – SP
(11) 4229-8253 / (11) 4221-6744
cor.centro@globo.com

Autor: COR

COR - CENTRO DE ORTOPEDIA E REABILITAÇÃO

TÚNEL DO CARPO, TÚNEL ULNAR E TENOSSINOVITE ESTENOSANTE

Síndrome do Túnel do Carpo    A síndrome do túnel do carpo ocorre devido à compressão do nervo mediano dentro do túnel do carpo. O túnel do carpo é uma cavidade de forma cilíndrica entre o antebraço palmar e a palma, que é limitado dorsalmente pelo arco transverso do carpo.   A síndrome caracteriza-se predominantemente em formigamento…
Leia mais

LESÕES CÍSTICAS

Cisto Unicameral Uma concentração elevada de prostaglandina no líquido aspirado de cistos radiograficamente ativos foi relatada por vários observadores e é considerada como estímulo aos osteoclastos para remover o osso. O nível de prostaglandina no líquido do cisto é reduzido depois da injeção de metilprednisolona.    Constata-se a maioria dos cistos no úmero proximal ou…
Leia mais

Lesões Fibrosas

Defeito cortical fibroso Os defeitos corticais fibrosos, embora classificados como tumores ósseos, são provavelmente anormalidades do desenvolvimento e acredita-se que ocorram em até 35% das crianças. Costumam ser encontrados acidentalmente. Em geral estas lesões ocorrem na região metafisária dos ossos longos em indivíduos entre as idades de 2 a 20 anos, e predominantemente em homens.…
Leia mais

TUMORES BENIGNOS (Ocasionalmente Agressivos) do OSSO

Tumor de Células Gigantes Eles ocorrem tipicamente em pacientes entre as idades de 20 a 40 anos, e há uma ligeira predominância feminina. A localização mais comum deste tumor é o fêmur distal, vindo logo a seguir da tíbia proximal.    Embora estes tumores tipicamente sejam benignos, metástases pulmonares ocorrem em aproximadamente 3% dos pacientes.…
Leia mais

TUMORES DOS TECIDOS MOLES E CONDIÇÕES NÃO-NEOPLÁSICAS QUE SIMULAM TUMORES ÓSSEOS.

TUMORES DO TECIDO FIBROSO    Fibroma A maioria destas lesões é encontrada na extremidade superior e tem 1 a 2 cm de diâmetro. O tratamento adequado é excisão marginal. Na mão, uma recidiva elevada, de até 24% foi descrita. A reexcisão da lesão foi eficaz na maioria dos pacientes. Tumor fibroso solitário É um tumor…
Leia mais

TUMORES ÓSSEOS BENIGNOS DIVERSOS

Tumores Neurais     Tumores ósseos neurogênicos são muito raros, mas neurilemomas definidos foram descritos. Em radiografias eles são observados como lesões líticas individualizadas. Seu aspecto microscópico é semelhante ao dos neurilemomas do tecido mole. Neurofibromas também se desenvolvem no osso, uma variedade de outras anormalidades musculoesqueléticas não necessariamente relacionadas á presença de neurofibromas individualizados pode…
Leia mais

TRASNTORNOS DO HÁLLUX

Hálux Valgo ( Joanete)    O hálux valgo ( desvio lateral do hálux) não é uma doença única, como o nome dá a entender, mas uma deformidade complexa do primeiro raio, que frequentemente é acompanhada por deformidade e sintomas nos dedos menores. Muitas vezes o ângulo entre o primeiro e o segundo metatarsais é maior que…
Leia mais

TRANSTORNOS DAS UNHAS E DA PELE

Unha Encravada ( Onicocriptose, unguis incarnatus)    O termo unha encravada é um pouco ilusório. Se usado para designar um gancho de unha causado pelo cuidado inadequado da unha, crescendo para dentro de uma dobra ungueal superposta que obliterou o sulco ungueal lateral, o termo é aceitável. Por outro lado, a causa mais provável do complexo…
Leia mais

Sinovite Crônica

A sinovite crônica é uma lesão, persistente, inespecífica, da sinovial, geralmente monoarticular, com pouco ou nenhum comprometimento de osso ou cartilagem e sem evidência clara de outro processo patológico primário. Embora as culturas articulares sejam negativas, o processo pode aparecer relacionado com uma infecção em outro local.    Uma vez que a sinovite monoarticular pode…
Leia mais

CONTRATURA DE DUPUYTREN

A doença de Dupuytren é uma fibroplastia proliferativa do tecido palmar subcutâneo, que ocorre na forma de nódulos e cordões, e que pode resultar em contraturas secundárias progressivas e irreversíveis das articulações do dedos.    Aproximadamente 5% dos pacientes com contraturas de Dupuytren têm lesões semelhantes na fáscia plantar medial de um dos ambos os pés,…
Leia mais

SÍNDROMES COMPARTIMENTAIS E CONTRATURA DE VOLKMANN

Diversas lesões demonstraram resultar em síndrome comportamental, incluindo esmagamentos, compressão externa prolongada, sangramento interno (especialmente após lesão em pacientes com hemofilia), fraturas, exercício excessivo, queimaduras, mordida de cobra e injeções intra-arteriais de drogas ou agentes esclerosantes. Anestesia regional intravenosa também pode ser a causa de síndrome compartimental quando uma solução salina hipertônica é usada para…
Leia mais

RIZOTOMIA PERCUTÂNEA

A rizotomia percutânea, está indicado para pessoas que sentem dor crônica na coluna cervical e lombar, que origina-se das facetas articulares. Pode ser realizado em pessoas que queixam de dor na coluna cervical, em que não há irradiação para os membros superiores (braços) e na coluna lombar que irradia para glúteo e membros inferiores (pernas),…
Leia mais

Úlcera Diabética – pé

Úlceras diabéticas são mais comuns no antepé embaixo de uma das cabeças metatarsais ou da articulação interfalângica do hálux. Se a úlcera for associada com garra fixa dos dedos como resultado de paralisia muscular intrínseca diabética, somática ou neuropatia periférica, o tratamento bem-sucedido é difícil. Isto realmente ocorre se a úlcera for embaixo da primeira…
Leia mais

PÉ DIABÉTICO

A isquemia e a infecção no pé diabético são ocorrências sérias e mesmo ameaçadoras à vida; entretanto, a neuropatia é a condição mais difícil de tratar.    Neuropatia, angioaptia, retinopatia e nefropatia, isoladamente ou em combinação e em graus variados de gravidade podem influenciar o tratamento do pé diabético. Na sua forma mais grave, anestesia total…
Leia mais

PÉ REUMATÓIDE

Antepé    A manifestação inicial da artrite reumatóide do antepé é sinovite das articulações metatarsofalângicas. Concomitante com a sinovite há liberação de enzimas (proteases e colagenases) da sinovial doente. Essas enzimas destroem a cartilagem articular e interropem interfaces osteoligamentares. Distensão líquida da cápsula articular e enfraquecimento dos ligamentos capsulares possibilitam que os dedos subluxem dorsalmente sobre…
Leia mais

Dedo em Martelo e Dedo em Garra

Dedos em garra podem ser causados por doenças neuromusculares. Os músculos intrínsecos do pé, especificamente os interósseos, passam plantares ao eixo de rotação da articulação metatarsofalângica, promovendo flexão desta articulação. A perda da função intrínseca do pé leva a um desequilíbrio, permitindo que o extensor longo dos dedos estenda a articulação metatarsofalângica e o flexor…
Leia mais

ANOMALIDADES DOS DEDOS MENORES

Deformidade dos dedos menores, particularmente do segundo dedo, às vezes está relacionada com a instabilidade da articulação metatarsofalângica. Geralmente, as deformidades dos dedos menores ocorrem em mulheres que usam sapatos de salto alto, constritivos e atletas com sobrecarga excessiva em hiperextensão constante dos dedos.  Os pacientes com sinovite e instabilidade da articulação metatarsofalângica geralmente têm…
Leia mais

PÉ PLANO

Pé Plano Flexível Pé plano (pé chato) designa, por convenção, a perda do arco longitudinal medial normal.   Pé plano em crianças e adultos geralmente é flexível e sem sustentação de carga apresenta um arco de aspecto bastante normal. Entretanto, frequentemente no pé plano fixo ou semi – rígido há alterações estruturais ósseas e nos tecidos moles…
Leia mais

LESÕES DO TORNOZELO

Além das fraturas ou luxações, traumas causam pelo menos três tipos de afecções articulares: Lesões ligamentares agudas graves, acompanhadas por rupturas decorrentes, lesões ligamentares de menor magnitude, decorrentes de episódio único ou por uso excessivo e repetido, produzindo alterações articulares microscópicas sem rupturas, e agravamento de anormalidades articulares preexistentes.

LESÕES DO COTOVELO

Tendinopatias do Cotovelo Epicondilite Lateral Epicondilite Lateral ( cotovelo do tenista), uma denominação familiar utilizada na descrição de uma série de sintomas na região do aspecto lateral d cotovelo, ocorre mais frequentemente em indivíduos não-atletas, do que em atletas praticantes do tênis. O pico de incidência situa-se na quinta década de vida, com incidência praticamente igual…
Leia mais

LESÕES DO OMBRO E COTOVELO

Lesão do Manguito Rotador Muitos pacientes com uma afecção do manguito rotador demonstram surgimento insidioso de dor e disfunção progressivas, com perda concomitante do movimento ativo. Geralmente, a dor ocorre à noite e pode referir-se à área da inserção do deltóide. A princípio, o movimento passivo permanece completo, até que a dor limite o movimento…
Leia mais

LESÕES DE NERVOS PERIFÉRICOS

Os nervos periféricos podem ser lesados por doenças metabólicas ou do colágeno, doenças malignas, toxinas endógenas ou exógenas, ou trauma térmico, químico ou mecânico.    A lesão primária de um nervo periférico resulta do mesmo trauma ou lesa um osso ou articulação. Em alguns casos, no entanto, a lesão neural é causada por fragmentos ósseos…
Leia mais

LESÕES DE TENDÕES FLEXORES E EXTENSORES

Um conhecimento básico da anatomia dos tendões flexores, especialmente no antebraço, punho e mão é apropriado, do mesmo modo que uma compressão dos aspectos biomecânicos essenciais da função do flexor profundo e do flexor superficial dos dedos. Admite-se que a nutrição do tendão seja derivada de duas fontes básicas: (1) o líquido sinovial produzido dentro…
Leia mais

LESÕES NERVOSAS

Os princípios básicos no tratamento das lesões de nervos dos dedos, palma da mão e punho.    A magnitude das lesões nervosas na mão é, muitas vezes, de difícil avaliação. Lesões locais extensas que põem em risco o membro ou a vida, lesões em crianças ou em pacientes ansiosos, não colaborativos ou intoxicados, são fatores…
Leia mais

MÃO PARALITICA

A mão paralítica é uma estrutura de imensa sensibilidade; entretanto, movimento e força são necessários para as funções altamente adaptativas de pinçamento, de pega e de gancho. Alterações posicionais e também movimentos delicados se tornam possíveis pelas muitas articulações dos 29 ossos na mão, punho e antebraço e pelos 50 músculos que atuam como motores…
Leia mais

LESÕES DE JOELHO

O joelho é uma das articulações mais frequentemente lesionadas por causa de sua estrutura anatômica, sua exposição a forças externas e pelas exigências funcionais aplicadas sobre ele. Para que possamos entender as lesões do joelho, é fundamental o conhecimento da anatomia normal dessa articulação. Embora tenham sido muito enfatizados os ligamentos do joelho, sem contribuição…
Leia mais

CONSOLIDAÇÃO VICIOSA DE FRATURAS

Fratura com consolidação viciosa é aquela que consolidou com os fragmentos em uma posição não-anatômica. Se a deformidade tem má aparência ou não, ela pode comprometer a função de diversos modos.    Em geral, consolidações viciosas são causadas por redução imprecisa ou por imobilização ineficaz durante o processo de consolidação. Na maioria das vezes, esses…
Leia mais

CONSOLIDAÇÃO RETARDADA E PSEUDOARTROSE DE FRATURAS

Consolidação Retardada A diferença entre consolidação retardada e pseudoartrose é principalmente de grau. Não se pode estabelecer arbitrariamente o tempo que levará para ocorrer consolidação em determinada fratura. A consolidação e considerada retardada quando a cicatrização não avançou na velocidade média para a localização do tipo de fratura (habitualmente, 3 a 6 meses).    Frequentemente,…
Leia mais

DISTÚRBIOS TRAUMÁTICOS

Síndrome do Compartimento Murabak definiu síndrome do compartimento como uma elevação na pressão intersticial em um compartimento osteofascial, que resulta em comprometimento microvascular. Mais comumente, estão envolvidos compartimentos com estruturas fasciais ou ósseas relativamente não-complacentes, especialmente os compartimentos anterior e posterior profundo da perna e o compartimento volar do antebraço. Contudo, a síndrome do compartimento…
Leia mais

LUXAÇÕES AGUDAS

Raramente há necessidade de redução cruenta nas luxações agudas. Na maioria dos casos de luxações simples, primeiro deve-se tentar a redução fechada depois de fazer uma analgesia e sedação intravenosa, ou anestesia geral. Se houver necessidade de anestesia geral, a equipe da sala cirúrgica deve preparar-se para a possibilidade de um procedimento cirúrgico aberto, se…
Leia mais

LUXAÇÕES INVERTEBRADAS NÃO-REDUZIDAS

Qualquer luxação deve ser reduzida o mais breve possível. Enquanto uma articulação se encontra luxada, o metabolismo de sua cartilagem hialina fica comprometido, e as funções do líquido sinovial são prejudicadas. A cartilagem hialina pode degenerar em curto período, e alterações irreversíveis ocorrerão rapidamente. Consequentemente, quando essas luxações antigas são finalmente reduzidas, as expectativas por…
Leia mais

LUXAÇÕES RECIDIVANTES

Luxações recidivantes de uma articulação podem resultar de uma ou mais luxações traumáticas, quando a subsequente cicatrização das estruturas de sustentação da articulação foi deficiente. Os seguintes fatores predisponentes também podem estar presentes na articulação, ou no membro: contorno ou alinhamento anormal da própria articulação (congênito ou traumático), relaxamento congênito das partes moles de sustentação…
Leia mais

OSTEOMIELITE

A osteomielite é uma inflamação do osso causada por um organismo infeccioso. A infecção pode ser limitada a uma única porção do osso ou pode envolver várias regiões como a medula, a cortical, o periósteo e mesmo o tecido mole adjacente.    A classificação da osteomielite baseia-se em vários critérios, como a duração e o…
Leia mais

INFECÇÃO

Etiologia As infecções dos ossos e articulações representam um desafio para o cirurgião ortopédico. O êxito obtido com a antibioticoterapia na maioria das doenças bacterianas não se repetiu nas infecções dos ossos e articulações, em virtude das características fisiológicas e anatômicas do osso. Embora a bacteriemia seja um fenômeno comum – estima –se que ocorra…
Leia mais

Lombalgia

 Dor que ocorre na região entre a décima segunda costela até o sulco interglúteo. Ela pode ser acompanhada de dor que se irradia para uma ou ambas as nádegas ou para as pernas na distribuição do nervo ciático (dor ciática).   A lombalgia é um problema extremamente comum, que afeta mais pessoas do que qualquer outra…
Leia mais

Hérnia de Disco Lombar

“Quando você apresenta quadro de dor na coluna que irradia para o membro inferior, e todo dia as atividades se tornam difíceis ou mesmo impossíveis de realizar devido à dor. Uma das causas pode ser a hérnia de disco”.   A coluna vertebral é constituída pelas vértebras pelo amortecimento do impacto e ajuda também na movimentação…
Leia mais

Hérnia de Disco Cervical

 A hérnia de disco cervical ocorre quando o disco intervertebral sofre uma ruptura na sua parte externa com o extravasamento do conteúdo interno “núcleo pulposo” causando uma compressão de alguma raiz nervosa cervical.   As raízes cervicais são responsáveis pela inervação sensitiva e motora dos membros superiores, então a sua compressão pode ocasionar dor, formigamento, anestesia,…
Leia mais

Fratura por Osteoporose

A osteoporose é a doença óssea metabólica mais frequente, sendo a fratura a sua manifestação clínica. É definida patologicamente como “diminuição absoluta da quantidade de osso e desestruturação da sua microarquitetura levando a um estado de fragilidade em que podem ocorrer fraturas após traumas mínimos”. É considerado um grave problema de saúde pública, sendo uma…
Leia mais

Estenose de Canal Lombar

Estenose lombar é o estreitamento do canal vertebral na região lombar, O canal vertebral contém a medula espinhal desde a porção cervical até a porção lombar alta.   A porção média e a inferior do canal lombar contêm as raízes nervosas da chamada cauda equina. O canal estreito pode comprimir estas raízes e determinar sinais e…
Leia mais

Espondilolistese

O termo espondilolistese é usado para descrever várias doenças da coluna onde uma vértebra escorrega saindo do alinhamento normal com a outra vértebra. “Escorregamento de uma vértebra sobre a outra vertebral”  Causas   Existem cinco causas de espondilolistese: Istímica – Fratura por stress do pars articular vertebral ocorrendo mais comumente entre a idade de 5 a…
Leia mais

Escoliose

Escoliose é um desvio da coluna vertebral no plano frontal, ou seja a coluna esta desviada para a esquerda ou para a direita. Hoje sabemos que essa deformidade e tridimensional causando além desse desvio uma rotação da coluna vertebral, sendo responsável pela assimetria das mamas e caixa torácica. “Quando observamos o indivíduo de frente ou…
Leia mais

Artrose Facetária

As facetas articuladas são pequenas articulações que conectam as vértebras na parte posterior da coluna. Também são conhecidas como articulações Zigoapofisárias. Sua função principal é proporcionar estabilidade rotacional.   Como qualquer outra articulação do corpo, as articulações facetárias podem originar dor, seja por processos de desgaste articular (artrodese facetária), seja por estados inflamatórios. O desgaste das…
Leia mais

ARTRITE REUMATOIDE

Atrite Reumatóide de início Adulto A artrite reumatóide é uma doença inflamatória sistêmica crônica, mais frequentemente comprometendo as pequenas articulações das mãos e pés, embora qualquer articulação sinovial possa ser afetada.    A causa exata da artrite reumatoide permanece desconhecida. Durante os últimos anos, no entanto, o conhecimento da natureza e patogênese da doença aumentou,…
Leia mais

PARALISIA CEREBRAL DA MÃO

   A paralisia cerebral é uma encefalopatia não hereditária, não progressiva, que ocorre no período pré-natal ou perinatal, caracterizada por alteração das funções motora, sensitiva e frequentemente intelectual. A função da mão é prejudicada de alguma forma em todos os tipos, exceto possivelmente na paraplegia espática. As deformidades mais comuns encontradas são: adução do ombro, rotação…
Leia mais

ANOMALIAS CONGÊNITAS E DO DESENVOLVIMENTO DO QUADRIL E DA PELVE

Displasia Congênita e do Desenvolvimento do Quadril    A displasia congênita do quadril (DCQ) geralmente abrange a sub-luxação (luxação parcial) da cabeça do fêmur. O quadril esquerdo costuma ser mais acometido que o direito, e o envolvimento bilateral é mais comum que aquele que afeta apenas o quadril direito.    Foram propostas várias teorias para…
Leia mais

ARTROGRIPOSE MÚLTIPLA CONGÊNITA

Artrogripose múltipla congênita, ou contraturas múltiplas congênitas, é uma síndrome não-progressiva caracterizada por articulações deformadas e rígidas; atrofia ou ausência de músculos ou grupos de músculos; membros acometidos cilíndricos, fusiformes ou cuneiformes e com menos pregas cutâneas e tecido subcutâneo; contratura das cápsulas articulares e dos tecidos periarticulares; luxação das articulações, especialmente dos quadris e…
Leia mais

CONSIDERAÇÕES TERAPÊUTICAS GERAIS

Fraturas É comum a ocorrência de fraturas em crianças portadoras de doença neuromuscular, decorrentes de osteoporose por inatividade e quedas frequentes. Com estudos constataram a existência de uma redução significativa na densidade mineral óssea através de exame de densitometria óssea em meninos com distrofia muscular de Duchenne, com 44% de fraturas confirmadas. A maioria das…
Leia mais

DOENÇAS NEUROMUSCULARES

   As doenças neuromusculares em crianças abrangem quadros clínicos que afetam a medula espinhal, os nervos periféricos, as junções neuromusculares e os músculos. É imprescindível que seja firmado um diagnostico preciso, pois os procedimentos comumente empregados para o tratamento das deformidades em pacientes com doença neuromuscular, como poliomielite ou paralisia cerebral, podem não ser apropriados…
Leia mais

MIELOMENINGOCELE

A mielomeningocele é o transtorno mais comum do espectro de afecções descritas como espinha bífida. A mielomeningocele é uma estrutura saculiforme contendo liquor tecido nervoso. Os progressos ocorridos na medicina, cirurgia e áreas de saúde afins reduziram a taxa de mortalidade dos pacientes portadores de graves defeitos congênitos do sistema nervoso central. O desafio dos…
Leia mais

OSTEOCONDROSE OU EPIFISITE E OUTRAS AFECÇÕES

Osteocondrose ou Epifisite Os termos osteocondrose e epifisite designam transtornos que acometem epífises em fase de crescimento ativo. O transtorno pode estar localizado em uma única epífise ou, ocasionalmente, envolver duas ou mais epífises simultânea ou sucessivamente. Em geral a causa é desconhecida, mas existem indícios de falta de vascularidade em consequência de trauma, infecção ou malformação…
Leia mais

PARALISIA DE MÚSCULOS ESPECÍFICOS

Músculos isolados podem estar paralisados em pacientes com poliomielite; entretanto, o mais comum é serem afetados conjuntos de músculos. O músculo ou músculos específicos envolvidos e o desequilíbrio muscular resultante devem ser determinados antes do inicio do tratamento. Algumas das deformidades mais comuns causadas pelo desequilíbrio muscular no pé e no tornozelo serão descritas de…
Leia mais

TALIPE CALCÂNEO

Talipe calcâneo é uma deformidade paralítica grave de progressão rápida que ocorre quando o tríceps sural está paralisado e os outros músculos extrínsecos do pé, principalmente os dorsiflexores do tornozelo, permanecem funcionais. Uma deformidade moderada em pacientes esqueleticamente imaturos deve ser tratada por meios conservadores com suportes ou órteses até que a velocidade de progressão…
Leia mais

Transtornos Paralíticos

Poliomielite Poliomielite anterior aguda é uma infecção viral localizada nas células do corno anterior da medula espinhal e em certos núcleos motores do tronco encefálico. A invasão inicial do vírus ocorre por meio dos tratos gastrintestinal e respiratório, disseminando-se para o sistema nervoso central através de uma via hematogênica.    A doença pode ser evitada…
Leia mais

Open chat